O verdadeiro Jejum


Ontem eu estava assistindo a minissérie, numa emissora de TV, que conta a história do rei Davi. Tirando os acréscimos, coisas que a Bíblia não relata, é até interessante. Ontem foi o episódio do nascimento e morte do filho de Davi com Bateseba. E quando Davi soube da doença do filho “implorou a Deus em favor da criança. Ele JEJUOU e, entrando em casa, passou a noite deitado no chão.” (2Sm 12.16)

Existem coisas deturpadas em nossos dias, mas acredito que existam poucas tão deturpadas como o jejum. Então, para começo de conversa vamos ver o que o jejum não é:

1. O jejum não é garantia de que Deus vai me dar o que eu quero.

Davi jejuou, clamou, mas sete dias depois seu filho morreu (2Sm 12.18).

2. O jejum não é uma greve de fome.

Eu não mudo Deus, ele é imutável. Eu não posso constranger Deus com uma greve de fome para levá-lo a fazer aquilo que Ele não quer fazer (Nm 23.19).

3. O jejum não é sinal de vida de relacionamento com Deus.

A palavra de Deus deixa isso bem claro quando mostra que os fariseus jejuavam (Mt 9.14) e esses mesmos fariseus mandaram matar Jesus (Mt 12.14).

Então o que é o jejum? Acredito que a história da morte do filho de Davi nos mostra realmente o que é o jejum.

A palavra de Deus mostra que Davi clamou e jejuou por sete dias em favor da criança, o desejo de Davi era que o filho não morresse. Nesses dias ele não ouviu ninguém, só clamava a Deus. Mas, depois desses sete dias a criança morreu.

Depois de ouvir isso, Davi se levantou, se lavou, se perfumou, trocou de roupa e entrou no santuário do Senhor e o adorou. O verdadeiro jejum nos aproxima de Deus para que possamos nos conformar com a sua vontade, sabendo que Ele sempre tem o melhor, mesmo que não seja aquilo que queremos.

Davi sabia quem Deus era e quem ele era, e quando perguntaram para ele o porquê dessa atitude, já que o normal seria o lamento depois da morte e não o se conformar, ele respondeu: “enquanto a criança ainda estava viva, jejuei e chorei. Eu pensava: quem sabe? Talvez o Senhor tenha misericórdia de mim e deixe a criança viver.” (2Sm 12.22)

Ele sabia que Deus tinha o melhor e que Ele tem misericórdia de quem Ele quer ter misericórdia (Rm 9.15). O jejum conformou Davi à vontade de Deus. “Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito” (Rm 8.28)

Que relembremos essa prática que está um pouco esquecida, mas da maneira correta, não para conseguir o que quero, mas para mortificar a minha carne, e assim, conseguir me conformar à vontade de Deus.


Por seu Reino de misericórdia!

Rodrigo Rezende

2 Comentarios

  1. O jejum é para a glória de Deus e satisfação Nele. De forma deturpada, o jejum será idolatria, ou seja, uma prece aos nossos ídolos (achando que é para Deus).

  2. "Eu não mudo Deus, ele é imutável."Meu nome é Reinaldo (Reinaldo Melo no face). Só queria lembrar da passagem onde o profeta Isaías informou ao rei Ezequias que ele iria morrer(2Reis 20). Não que Deus "mudou"; Deus tomou outra decisão conforme a oração de Ezequias.Conforme você deixou bem claro no seu texto, o jejum (eu acrescento, oração) não é a garantia que Deus vai fazer o que pedimos. Temos que aceitar (como você deixou claro em seu texto) a vontade de Deus. Que Deus nos abençoe! Qualquer observação, correção ou outra coisa, estou neste mundo para aprender e busco muito o conhecimento. email: reykta@hotmail.com!

Comente

Você pode e deve comentar, somente atente para as seguintes observações:
1. Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se; 2. Discordar não é problema, é solução, pois leva ao aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão! 3. Ofereça o seu ponto de vista, contudo, não aceitarei esta doutrina barata do “não toque no ungido” do Senhor ou "Não julgueis para que não sejais julgados"